International Wine Challenge

Background and contacts

About International Wine Challenge

The International Wine Challenge (IWC) owned by William Reed Business Media is now in its 35th year. The IWC is accepted as the world's finest and most meticulously judged wine competition which assesses every wine blind and judges each for its faithfulness to style, region and vintage Throughout the rigorous judging processes, each medal winning wine is tasted on three separate occasions by at least 10 different judges and awards include medals (Gold, Silver, Bronze) and Commended awards

About The Digital Newsroom

The International Wine Challenge Digital Newsroom is a simple and useful resource for you to keep track of all the latest news stories. High resolution images and complete press releases are available to download from here, and you can connect with our various social media profiles easily. Suggestions for improvements are welcome.

Contact Details

Elly Barham-Marsh Helen Kenny
Manifest London
t. +44 (0)203 1379 270
e. iwc@manifest.london

International Wine Challenge

Vinicultores portugueses mostram qualidade impressionante no International Wine Challenge 2015, recebendo 617 medalhas em diversos estilos

Vinicultores portugueses mostram qualidade impressionante no International Wine Challenge 2015, recebendo 617 medalhas em diversos estilos

60 medalhas de ouros foram para vinhos portugueses em um ano de muito sucesso para os vinicultores do país

  • Um total de 617 prêmios para Portugal, incluindo 60 medalhas de ouro, 223 de prata e 334 de bronze
  • Portugal pode ser famoso por seus vinhos fortificados, mas uma enxurrada de vinhos portugueses não fortificados também recebeu os principais prêmios
  • Portugal produz o mais antigo medalhista de ouro, com o Madeira 1934 recebendo o prêmio.

Os vinicultores portugueses demonstraram seu domínio em vinhos fortificados e não fortificados no International Wine Challenge 2015, que anuncia seus resultados hoje. Um total de 617 vinhos portugueses receberam medalhas, incluindo 60 medalhas de ouro, 223 medalhas de prata e 334 medalhas de bronze.

As principais honras na categoria Porto foram para a Sogevinus Fine Wines, que produziu os portos Cálem, Kopke, Barros e Burmester. A produtora teve um ano fenomenal na competição, recebendo nove medalhas de ouro, quatro de prata e cinco de bronze. É muito incomum para uma vinícola receber mais medalhas de ouro do que as outras medalhas, o que mostra seu domínio na produção de vinhos do porto.

Logo atrás da Sogevinus ficou a Symington Family Estates, proprietários da Cockburn’s, Warre’s, Dow’s e Graham’s. A produtora recebeu seis medalhas de ouro, oito de prata e sete de bronze. A Symington Family Estates também criou cinco vinhos do Porto para várias marcas próprias de supermercados que receberam medalhas na competição, incluindo três criados para a Morrison e dois para o Tesco. O Morrisons Signature Late Bottled Vintage Port 2009 e o Morrisons Special Reserve Port NV ambos receberam medalhas de prata e o Morrisons Ruby Port NV recebeu uma de bronze. O Tesco finest* 10 Year Old Tawny Port NV e o Tesco finest* Late Bottled Vintage Port 2009 também receberam medalhas de bronze.

Uma porção de vinhos do Porto das marcas próprias da Marks & Spencer também receberam medalhas na competição. O Marks & Spencer Royal Palace Colheita Single Harvest Port 2001, produzido pela Taylor’s, recebeu uma medalha de ouro. A Marks & Spencer também recebeu medalhas de prata pelos vinhos Marks & Spencer Vintage Port 2011, Marks & Spencer Late Bottled Vintage Port 2009 e Marks & Spencer 20 Year Old Tawny Port NV. O Marks & Spencer 10 year old Tawny Port NV e o Marks & Spencer Finest Reserve Port NV ambos ganharam medalha de bronze.

Dezesseis medalhas foram concedidas à Madeiras, incluindo cinco de ouro. Henriques & Henriques ganhou três medalhas de ouro pelo seu Single Harvest Boal 2000, seu Verdelho NV de 20 anos e seu Medium Rich Single Harvest 1998, assim como uma medalha de prata e outra de bronze. Justino’s, Madeira Wine, S.A. que receberam o Troféu Madeira em 2014, continuaram a impressionar os jurados este ano. Esta vinícola recebeu duas medalhas de ouro por seus vinhos envelhecidos; o Madeira Boal 1934 da Justino’s (o vinho mais antigo a receber uma medalha de ouro no IWC deste ano) e o Madeira Terrantez 1978 da Justino’s ambos receberam medalha de ouro. A vinícola também recebeu um trio de medalhas de prata e um par de medalhas de bronze.

Cinco vinhos não fortificados criados no Vale do Douro, berço do vinho do porto, também receberam medalhas de ouro, conforme os vinicultores da região exibem seu talento para criar vinhos secos e não fortificados também.  A Quinta de Lubazim recebeu um par de medalhas de ouro por seu Lupucinus Seleccion 2013 e seu Lupucinus Grande Reserva 2011. O vinhedo Douro também recebeu uma medalha de prata por seu Quinta de Lubazim Grande Reserva 2012.

A região do Alentejo, localizada no sudeste de Lisboa, produziu 102 medalhistas, incluindo seis de ouro, 40 de prata e 56 de bronze. Todos os vinhos medalhas de ouro produzidos na região eram tintos, predominantemente criados de uvas portuguesas tradicionais como a Touriga Nacional, Aragonez e Trincadeira. No entanto, a região também produziu o único Syrah português medalhista de ouro, uma uva cada vez mais plantada no sul de Portugal. Seu produtor, a Sociedade Agro-Pecuária do Oeste Alentejano, impressionou os jurados com o Serros da Mina Colheita Seleccionada Syrah 2012.

Quarenta vinhos produzidos na região de Dão também receberam medalhas, sendo 5 de ouro, 17 de prata e 18 de bronze. Tipicamente famosa por sua produção de vinhos tintos, quatro vinhos brancos de Dão também receberam medalhas no IWC.  Três vinhos feitos usando a excelente uva branca Dão Encruzado ganharam medalhas de bronze e o Vinho Dão Colheita Seleccionada Pingo Doce 2014, produzida pela Pingo Doce Distribuição Alimentar S.A. ganhou uma medalha de prata.

Dois vinhos brancos da região de Vinho Verde receberam medalha de ouro, o Quinta de Linhares Loureiro 2014, da Vinícola Agri-Roncão e o Soalheiro Reserva 2013, da VinuSoalleirus. Vinicultores da região também produziram 12 medalhistas de prata e 22 vinhos que receberam o bronze.

Uma enxurrada de 40 vinhos criados na Península de Setúbal receberam medalhas, incluindo uma de ouro para o Sivipa Moscatel de Setúbal 1996. Trinta e nove medalhistas vieram da região do Tejo, incluindo 10 medalhas de prata e 29 medalhas de bronze.

Uma das marcas de vinho mais famosas de Portugal, Mateus Rosé recebeu uma prata pelo seu Mateus Sparkling Brut Rosé NV. Três rosés misturados de 2014 criados para a linha Mateus Expressions também receberam medalhas de bronze; Mateus Expressions Baga e Shiraz 2014, Mateus Expressions Baga e Muscat 2014 e Mateus Expressions Aragonez e Zinfandel 2014.

A Adega do Cantor, um vinhedo na região do Algarve de propriedade do Sir Cliff Richard, também recebeu duas medalhas de bronze por seu Onda Nova Alicante Bouschet 2012 e seu Vida Nova Branco 2014.

Charles Metcalfe, copresidente do IWC comenta:

“Estes resultados mostram que Portugal não é mais só a terra dos vinhos fortificados, mas que também produz vinhos não fortificados fantásticos. O Vale do Douro e o Alentejo são duas regiões que fazem tintos tremendos e brancos cada vez melhores. Vinho Verde também está produzindo excelentes vinhos brancos, com muito sabor e menos álcool – perfeitos para o verão. Se tiver a sorte de colocar suas mãos em qualquer um desses medalhistas, você terá uma surpresa muito agradável.”

Visite o sítio do IWC para a lista completa dos vencedores: http://www.internationalwinechallenge.com

Attached Files

Archive